Sal Faz Mal ou Bem? A Surpreendente Verdade Que Nunca te Contaram

Você provavelmente já ouviu falar sobre os 3 vilões brancos da saúde, escondidos em nossa alimentação. O trigo, o açúcar e o sal. Mas será que o sal realmente entra nessa lista, podendo ser comparado com dois dos maiores causadores de problemas a saúde humana?

O sódio é um dos eletrólitos mais abundantes em nosso corpo, perdendo apenas para o potássio, onde hoje sabe-se que a grande maioria dos problemas que se acreditava que eram ocasionados pelo excesso de sal, em uma grande parte das vezes são ocasionados pela falta de potássio no organismo.

Acompanhe esse artigo comigo pelos próximos minutinhos que você já vai compreender que o sal além de não ser vilão da saúde, é essencial a vida humana e que a sua deficiência pode trazer problemas a saúde.

ORIGEM DO SAL!

O termo sal originou-se da palavra Salus, nome da Deusa romana da SAÚDE, sendo que este era visto pelos romanos como um dos maiores símbolos de saúde, sendo intitulado como uma dádiva divina, que agregava sabor e conservação aos alimentos, além de saúde e vitalidade.

Muito além dos romanos o sal sempre foi utilizado por diversas civilizações, como os egípcios, árabes, judeus, gregos entre outros, sendo citado até mesmo em textos bíblicos e por mais adverso que pareça, é consumido por diversos outros animais além do ser humano, sendo imprescindível para a saúde de qualquer animal.

Você ficaria surpreso em ver o que os animais fazem para obter o sal, como por exemplo, os elefantes que andam quilômetros para poder comer quilos de sal em uma única refeição, ou macacos que comem piolhos e carrapatos para obter o sódio, ou até mesmo, as cabras que escalam montanhas para poder lamber rochas de sal.

Algumas vertentes alimentícias acreditam que o sal não é necessário para a saúde humana, uma vez que alegam que ele não fazia parte da alimentação pré-histórica sendo este um elemento dispensável, só que na verdade o sal nesses períodos também era consumido, apenas advinha de outras fontes, como o sangue e os órgãos de outros animas, que era a base da alimentação na época, além de plantas com alto teor de sódio.

O QUE É O SAL?

Existem diferentes tipos de sal, com diferentes proporções e composições minerais, advindo do mar, lagos salgados ou rochas, sendo que neste artigo está sendo denominado como “SAL” o natural, composto basicamente por cloro e sódio, eletrólitos importantes que em conjunto formam o cloreto de sódio diferentemente do sal refinado, conhecido como sal de cozinha que passa por alguns processos que retiram compostos importantes do sal natural tornando-o refinado.

Tipos de Sal

Tanto o sódio quanto o cloro são imprescindíveis a manutenção da saúde humana e a utilização destes pelo organismo é constante e por isso sua reposição deve ser diária.

A maioria dos sais marinho ou até mesmo o rosa do himalaia, independente da origem e sem passar pelo processo de refino, apresentam basicamente 80 elementos-traço (minerais), incluindo potássio, cálcio, magnésio, iodo, ferro, zinco entre vários outros que apesar da diferença na proporção de tais elementos, a quantidade destes minerais no sal é bem pequena e não contribuem com as necessidades diárias de tais elementos, sendo que estes elementos traços propiciam um ambiente mais equilibrado para a atuação entre o sal e o organismo, apesar da baixa concentração dos mesmos no sal natural.

Deixo aqui para você algumas das funções de cloro e sódio no organismo, que são os elementos atuantes do sal natural (cloreto de sódio).

Algumas funções do CLORO no organismo humano:

– É um eletrólito extremamente importante (carrega cargas/energia através de íons no organismo).

– Atua sobre a transmissão de impulsos nervosos.

– Atua na regulação do pH sanguíneo.

– É necessário ao funcionamento correto do fígado e dos rins, principalmente para a eliminação de toxinas.

– Forma ácido clorídrico no estomago, essencial ao processo de digestão, proteção do corpo e absorção de vitaminas.

– Atua sobre a regulação dos líquidos no organismo, em conjunto com o sódio e o potássio.

 Algumas funções do SÓDIO no organismo humano:

– Fundamental para o funcionamento do coração e dos músculos.

– Participa da regulação térmica do corpo.

– É necessário para hidratar o organismo.

– Tem papel extremamente importante na absorção de aminoácidos, cloro e glicose.

– Principal íon do meio extracelular (fora da célula).

SAL FAZ MAL OU FAZ BEM?

Como comentado anteriormente, o sal natural, independente da origem (mar, lagos, rochas) além de possuir cloro e sódio que são minerais importantes a manutenção do organismo, apresentam alguns elementos traços que melhoram a atuação destes dois eletrólitos essenciais, sem contar o fato de que o cloreto de sódio natural não refinado confere maior sabor e complexidade de paladar quando comparado com o sal refinado.

O problema é que quando ele é refinado, além dele perder todos os outros elementos traços dos outros minerais como alguns citados no texto, é adicionado a ele compostos tóxicos ao organismo humano, como alguns aditivos antiumectantes e antiaglomerantes, que têm a função de não deixar o “sal refinado” umedecer e se aglomerar, como por exemplo, aluminosilicato de sódio (alumínio) e ferrocianeto (cianeto), substâncias tóxicas com potencial carcinogênico.

Outro problema que pode estar relacionado ao sal, exclusivamente aos sais marinhos é que como estes advêm dos mares, mesmo não passando pelo processo de refino estes podem apresentar algumas matérias tóxicas ou até mesmo micropartículas de plástico, uma vez que os oceanos estão cada vez mais poluídos e o processo de retirada do sal marinho da água não elimina estes tipos de compostos.

Sal Faz Mal?

Um outro ponto extremamente importante a ser levantado é que muito dos problemas que são associados ao excesso de sódio, como a hipertensão ou retenção de líquidos no corpo, são muito mais efetivamente corrigidos com o aumento da ingestão de POTÁSSIO do que com a redução da ingestão de sódio.

O potássio é o eletrólito mais abundante no meio intracelular e sua ação está associada com o sódio. Ele é indispensável para diversas funções no organismo, como contração muscular e do coração, transmissão de impulsos nervosos, funcionamento de enzimas específicas e na maioria das vezes o seu funcionamento está diretamente relacionado com a mecanismo conjunto do sódio.

Hoje já é comprovado que a ingestão suficiente de potássio abaixa a pressão sanguínea de forma muito mais impactante e eficaz do que a eliminação do sal da alimentação, sendo que os estudos apontam que com um consumo diário de cerca de 4 a 5 g de potássio não seria necessário diminuir o sal no prato, contando que seja consumido o natural e sem adição de toxinas.

Uma outra opção que irá favorecer o controle da pressão arterial é um sono equilibrado. Existem pesquisas que mostram que pequenas reduções das horas de sono já são suficientes para acelerar as taxas cardíacas, aumentando consequentemente e de maneira considerável a pressão arterial.

O que se vê de consumo de sal recomendado pelos órgãos de saúde está em torno de 2,5 a 3,5g de sal para pessoas adultas ao dia, no entanto existem estudos que sugerem uma ingestão muito maior, em cerca de 5 a 8 g de sal por dia.

Ainda há aqueles que são praticantes diários de atividades física ou seguem uma alimentação com baixa ingestão de carboidratos (Low Carb), os estudos sugerem um consumo ainda maior de sal uma vez que a transpiração elimina maior quantidade de sal no suor, além de que com uma alimentação baixa em carboidrato reduz a insulina circulante do corpo do indivíduo, fato que está diretamente relacionado com a reabsorção de sódio pelos rins.

Pesquisas apontam que uma alta concentração de insulina circulando no organismo, faz com que os túbulos dos rins retenham maior quantidade de sódio e ainda, a reabsorção deste também é favorecida.

Estes são alguns alimentos que apresentam potássio naturalmente, sendo que alguns pesquisadores apontam que de 5 a 7 porções diárias destes suprem a necessidade de potássio do dia.

Alguns alimentos que apresentam Potássio:

– Abacates e avocados (melhor fonte).

– Vegetais verdes escuros.

– Água de coco.

– Bananas.

– Espinafre cozido.

– Algumas nutts (Amêndoas, Avelã, Castanhas de caju e etc.).

– Figo.

– Abóbora (principalmente às escuras).

– Pistache.

– Damasco.

– Sementes (abóbora tem boas concentrações).

– Batata doce.

– Folhas de beterraba cozidas.

– Lentilha cozida.

– Ervilha cozida.

Carne bovina cozida.

– Coco seco ou fresco.

bannerPortal

DÁ ONDE SURGIU QUE O SAL FAZ MAL?

A teoria de que o sal faz mal é baseada em um raciocino simples e direto, que diz que comer quantidades maiores de sal leva a níveis mais elevados da pressão arterial. No entanto, como já aconteceu com várias outras teorias médicas ortodoxas, essa também tem diversos pontos a serem levados em consideração, assim como você tem visto no decorrer do texto.

A hipótese apontada por essa teoria é de que quando ingerimos sal, ficamos com mais sede, então bebemos mais água. O excesso de sal faz com que o corpo retenha mais água para diluir as maiores concentrações de sódio no sangue, com maior quantidade de água no sangue o volume aumentaria, levando a uma pressão arterial aumentada e com ela os problemas cardíacos, os AVC entre outros problemas. Na teoria faria até um certo sentido, só que nos casos reais, o que se vê se difere muito.

Evidências científicas elucidam que 80% das pessoas que apresentam pressão arterial normal (não entram pessoas hipertensas com pressão controlada) não apresentam nenhuma alteração sofre a pressão quando aumentam a ingestão de sódio.

E mesmos dentre grupos de pessoas que apresentam um certa disfuncionalidade da pressão (pré-hipertensão) apenas ¼ são sensíveis ao aumento da ingestão de sal, sendo apontado como um possível fator a baixo concentração de potássio no organismo, como já comentado anteriormente.

Indo ainda mais longe, mesmo dentre o grupo de pessoas que apresentam de fato a pressão arterial elevada, estudos elucidam que cerca de 55%, mais da metade das pessoas hipertensas, não apresentam qualquer alteração sobre o aumento no consumo de sal.

Um outro fato extremamente chocante sobre as teorias que condenam o sal, está a famosa pesquisa do Dr. Lewis Dahl realizado na década de 70, que convicto que o sal ocasionava hipertensão, selecionou geneticamente ratos que apresentavam sensibilidade ao sal para poder afirmar a sua teoria. Sendo que o próprio Dr. Dahl mais à frente teve que admitir que ratos normais não apresentavam essa sensibilidade, atestando que utilizou doses equivalentes em humanos de meio quilo de sal ao dia para os seus experimentos, ficando este tipo de rato, conhecido como “ratos Dahl sensíveis ao sal”.

RISCOS DA BAIXA INGESTÃO DE SAL.

Como você já entendeu, o cloreto de sódio é essencial a vida e está diretamente relacionado com a vitalidade do indivíduo. Para que você tenha noção uma ingestão insuficiente de sal natural pode agir como contraceptivo natural a todos os tipos de animais, inclusive nós humanos, com uma relação de que menos sal, o indivíduo tenha menos saúde e com menos saúde, menos fertilidade.

Sal Rosa do Himalaia

A deficiência de qualquer um dos dois minerais presentes no sal natural pode ocasionar problemas a saúde, desde uma desidratação, caibras musculares, fadiga, tontura, até desmaios constantes, além de aumentar os riscos de doenças degenerativas.

Veja alguns dos principais problemas relacionados a baixo ingestão de sal:

– Aumenta o risco de ataque cardíaco: De acordo com um resumo feito com 23 estudos publicados pela American Journal of Hypertension, a redução de sal em até menos do que 2,5g por dia, além de ocasionar um desequilíbrio hormonal, também faz com que a ação da renina plasmática seja diminuída, aumentando de maneira significativa os riscos de ataque cardíaco.

– Desgaste adrenal: Quando a ingestão de sódio é insuficiente os nossos rins se esforçam para reter uma quantidade maior deste para envia-lo novamente a corrente sanguínea, uma vez que a quantidade necessária não está sendo suprida, sendo necessário trabalho extra dos hormônios adrenais, que estão ligado ao controle do sódio no organismo.

– Fadiga muscular e qualidade do sono alterada: O sódio está diretamente relacionado com a contração dos músculos, além de afetar de maneira significativa o sistema nervoso simpático, alterando a qualidade do sono e fazendo com que o musculo fadigue muito mais rápido.

IMPORTANTE! ATENÇÃO!

OBS 1: É de extrema importância ressaltar que existem grupos de pessoas com quadros específicos de saúde que não podem consumir quantidades normais como alguém completamente saudável, como por exemplo pessoas com problemas renais, ainda mais de maneira regular, por mais puro que seja o sal.

OBS 2: Outro ponto que não posso deixar de esclarecer para você é que por mais que o consumo de potássio seja suficiente o consumo de qualquer substância que seja, em excesso, pode vir a ocasionar problemas de saúde e, com o sal não seria diferente.

OBS 3: Sempre que uma informação sobre saúde e/ou alimentação chega a você, procure utilizar um senso crítico para avaliar o que é válido ou não para o seu organismo, a sua percepção de como o seu corpo reage a uma substância ou composto é extremamente importante, além de que devemos sempre consultar um profissional competente quando se trata de alimentação, levando para ele questionamentos coerentes e com embasamento científico para que as suas dúvidas a respeito do assunto seja completamente esclarecidas.

OBS 4: Este artigo tem como intuito informar o leitor sobre as novas informações que a ciência e os estudos nos mostram através de comprovações científicas, no entanto, não devem ser utilizadas como uma verdade universal e generalizada para todo e qualquer tipo de pessoa. Não esqueça de utilizar a coerência sobre como anda o seu quadro de saúde. Passar a comer quantidades elevadas de sal por mais natural que seja, pode não ser a melhor opção para você!

OBS 5: Está sendo apresentado no final do artigo na parte de referências uma gama de estudos e pesquisas publicadas em revistas e jornais respeitados do mundo todo, de onde foi tirado boa parte do embasamento destas informações. Procurar novas fontes de leitura e conhecimento é bom para melhorar e aumentar o nosso senso crítico, nos ajudando a filtrar o que é ou não verdade sobre determinados assuntos. Caso tenho um tempo extra, dê uma olhada nas pesquisas.

bannerPortal

Gostou do conteúdo? Deixe um comentário logo abaixo, contando a sua opinião e se você acha que o sal faz bem ou mal para a saúde. Vou ficar muito feliz de ler os seus comentários. =)

Fique com Deus, um grande abraço. Gustavo Silva

FONTES DE PESQUISA

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23234732

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17425514/

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3036792/

https://jamanetwork.com/journals/jamainternalmedicine/article-abstract/2548255

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/6373586?dopt=Abstract

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3280031/

http://circ.ahajournals.org/content/early/2016/10/27/CIR.0000000000000462

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21403995

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4816263/

 

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha com a imagem abaixo * TimLimite de tentativas alcançadas